/
/
Coletânea sobre o Concílio para o Jubileu, ocasião para redescobrir o Vaticano II, diz Fisichella

Coletânea sobre o Concílio para o Jubileu, ocasião para redescobrir o Vaticano II, diz Fisichella

O pró-prefeito do Dicastério para a Evangelização ilustra a iniciativa editorial em preparação ao ano jubilar, composta por 34 volumes de fácil leitura. “É a resposta ao pedido do Papa Francisco para dedicar 2023 à redescoberta das quatro Constituições conciliares”

Eugenio Bonanata – Cidade do Vaticano

Uma coletânea com 34 pequenos volumes publicados pela Shalom intitulada Giubileo 2025 – Quaderni del Concilio. A iniciativa é do Dicastério para a Evangelização em preparação à abertura do Ano Jubilar, com base no pedido do Papa para dedicar 2023 à redescoberta das quatro sessões conciliares.

“O objetivo é o de suscitar interesse para que o Concílio Vaticano II se torne atual na vida das pessoas”, declarou ao canal Telepace o pró-prefeito do Dicastério Vaticano, arcebispo Rino Fisichella. Anunciando o lançamento da versão da coletânea em outras línguas além do italiano, o prelado se debruça sobre o pensamento de Francisco na introdução do primeiro volume dedicado à história e ao significado do Concílio Vaticano II para a Igreja.

“Ele quis escrevê-la – explica – precisamente para dizer o quanto é importante a redescoberta do Concílio e seu significado para a vida da Igreja em todos esses sessenta anos”. Dom Fisichella recorda como o Concílio chamou a Roma para três anos intensos de trabalho mais de três mil bispos de todo o mundo, que definiram o novo rosto da Igreja à luz das mudanças sociais em curso. “Sessenta anos depois – sublinha – sentimos ainda mais esta necessidade: a mudança cultural e a presença das tecnologias digitais e da Internet obrigam-nos a anunciar o Evangelho também com uma linguagem diferente, sobretudo às novas gerações”.

Livros com textos profundos mais sintéticos, e de fácil manuseio
Livros com textos profundos mais sintéticos, e de fácil manuseio

As características dos livros

Os livros da coletânea privilegiam a agilidade, a começar pelas pequenas dimensões. “São realmente cadernos – explica o pró-prefeito – que você pode colocar no bolso, pode ler em qualquer lugar e foram escritos de forma muito simples analisando as quatro Constituições nos temas principais”.

Os autores são teólogos, estudiosos da Bíblia, mas também jornalistas. “São pessoas que estudaram o Concílio e souberam usar uma linguagem cativante para falar dele”.

Cada uma aborda um tema diferente ao longo dos quatro eixos principais: Dei VerbumSacrosanctum ConciliumLumen GentiumGaudium e Spes. Fala-se de Tradição; da Sagrada Escritura; de liturgia; de sacramentos; de musica. Espaço também para a santidade, para a família, para os leigos, para as pessoas consagradas.

No caminho sinodal rumo ao Jubileu

Uma fonte de inspiração também para as homilias e as catequeses dos sacerdotes, já que são temas fundamentais para a Igreja hoje. Questões que assumem uma importância ainda maior à luz do caminho sinodal e em vista do Jubileu 2025. Um compromisso que – recorda Fisichella – baseia-se em um duplo pedido: ser peregrinos e, portanto, de nos colocar em caminho escolhendo o essencial apara levar na mochila e de ser dispensadores de esperança.

“A esperança obriga-nos a olhar para o futuro e a dar sentido ao nosso presente”, prossegue o prelado, acrescentando que a organização já começou e é intensa. “O Jubileu – explica – está ganhando espaço nas sensibilidades das dioceses e de nossas comunidades; portanto, é óbvio que o trabalho aumenta, mas vamos conseguir”.

Agora as atenções também estão voltadas para o hino. “A competição internacional termina em março”, recorda Fisichella. “Recebemos dezenas de partituras de diferentes partes do mundo e a escolha caberá à comissão internacional de músicos”.

Entre os outras etapas está o lançamento do site oficial e da respetiva App que serão essenciais para a presença na web e digital. “Depois – conclui – vamos nos concentrar no que teremos que organizar de forma mais concreta em termos de infraestrutura”.

Fonte: Vatican News

Compartilhar: