10° Encontro Mundial das Famílias. Amor familiar: caminho de santidade

Compartilhe:

Em uma coletiva de imprensa foi apresentada a programação para o 10° Encontro Mundial das Famílias que será realizado em Roma de 22 a 26 de junho. Depois do festival de abertura na Sala Paulo VI e três dias de congresso, no sábado será celebrada a Missa com o Papa na Praça São Pedro. O evento dará muito espaço aos testemunhos de áreas em conflito.

Antonella Palermo – Vatican News

Multicêntrico e difundido: foi assim que Gabriella Gambino, subsecretária do Dicastério para os Leigos, Família e Vida, definiu o 10º Encontro Mundial das Famílias apresentado na Sala de Imprensa da Santa Sé em uma coletiva de imprensa. Será realizado em Roma com a abertura no dia 22 de junho na Sala Paulo VI, com um festival na presença do Papa. Depois de três dias de congresso pastoral, também na Sala Paulo VI, no sábado à tarde haverá uma missa na Praça de São Pedro. Está previsto muito espaço para testemunhos e encontros nas paróquias. Participarão dois mil delegados com representantes também da Ucrânia.

Os temas

Ao contrário das edições anteriores, destacou a subseccretária, o congresso não terá palestras estruturadas academicamente com conteúdo teológico-doutrinal, mas será um momento de encontro, escuta e discussão entre os agentes da pastoral familiar e matrimonial. Formado por cinco conferências principais com cerca de trinta discursos e sessenta oradores, os painéis se concentrarão em alguns temas dominantes: a co-responsabilidade dos cônjuges e sacerdotes na pastoral das Igrejas particulares; algumas dificuldades concretas das famílias nas sociedades atuais; a preparação dos casais para a vida matrimonial; algumas situações de “periferia existencial” dentro das famílias; a preparação dos formadores em uma pastoral familiar cheia de desafios e questões difíceis. Também será um horizonte de referência a Igreja doméstica e a sinodalidade, com foco na relação entre jovens e idosos. Não será esquecido o âmbito do amor familiar nas provações, como o da traição, do perdão, e do abandono conjugal.

Além disso serão abordados temas como o acompanhamento da paternidade e maternidade, adoção e cuidado das crianças como escolhas cristãs e saber acolher a vida em qualquer situação. A missão da família cristã será mais um campo de compreensão recíproca, assim como as repercussões da era digital na dinâmica familiar. Serão discutidos temas como migrantes, vícios, violências e educação sexual. Assim como o acompanhamento espiritual para os novos casais e nos casos em que um dos cônjuges não é crente. A bússola recorrente que guiará todo o compartilhamento será a educação para o discernimento. A subsecretária reiterou isso quando foi questionada por um jornalista se teria a presença do LGBT. Aceitamos o convite do Papa Francisco para ter uma abordagem pastoral de escuta a todos, com misericórdia. A ideia, respondeu ela, é promover processos, o discernimento deve ser implementado todos os dias, sem fornecer receitas válidas para cada situação.

Fundo de solidariedade para a participação de áreas desfavorecidas

Foram convidados cerca de dois mil delegados de 120 países, escolhidos pelas Conferências Episcopais, pelos Sínodos das Igrejas Orientais e pelas realidades eclesiais internacionais que trabalham de maneira significativa no âmbito da pastoral familiar. Graças a um fundo de solidariedade ativado pelo Dicastério, explicou o oficial Leonardo Nepi, as Igrejas de muitas áreas da África, Ásia, América Latina e Europa Central também estarão adequadamente representadas, incluindo a Ucrânia (ambas com delegados do Sínodo da Igreja Greco-católica Ucraniana e com delegados da Conferência Episcopal de Rito Latino). Justamente pela natureza “generalizada” do evento, foi disponibilizado no site do Dicastério um kit pastoral com diretrizes e sugestões para organizar o Encontro em nível local.

Comunicação do evento

A organização do Dia Mundial também estruturou um aplicativo com todas as referências à encíclica Amoris Laetitia, às catequeses, informações sobre encontros diocesanos e visitas virtuais às quatro principais basílicas romanas e ao Palácio Lateranense. Os encontros serão transmitidos – através do site oficial do evento, romefamily2022.com – na página do YouTube da Diocese de Roma e graças à colaboração com o Dicastério para a Comunicação, também no VaticanNews. A atividade social é confiada a uma equipe de estudantes da Pontifícia Universidade Santa Cruz. Graças à Mídia Vaticana, foi implementado um sistema para garantir o sinal para as emissoras de TV que o solicitarem de forma gratuita, com um fluxo de imagens disponíveis em cinco idiomas (inglês, espanhol, francês, português, italiano, mais LIS em italiano e inglês). O Festival, a Missa do sábado 25 de junho (17h15, hora local) e o Angelus do domingo 26 no encerramento do Encontro com o mandato às famílias serão transmitidos para todo o mundo.

Fonte: VaticanNews

VOCÊ TAMBÉM PODE GOSTAR​