No Dia Diocesano da Solidariedade pela pandemia, Dom José Luiz reflete em homilia: “Por que tantos sofrimentos, tantas lágrimas engolidas e silenciadas?”

Compartilhe:

Na noite de ontem (10), na Catedral Diocesana de Pesqueira, Dom José Luiz Ferreira Salles, CSsR, bispo diocesano, presidiu celebração especial pelas vítimas da pandemia da Covid-19, unido a toda a Diocese, no Dia Diocesano de Solidariedade “Chorai com os que choram”.

Após um momento vivenciado em todas as paróquias, áreas pastorais e reitoria, nas 13 cidades que integram o território diocesano, com um minuto de silêncio e o toque dos sinos nas matrizes e capelas, o bispo deu continuidade com a celebração da Santa Missa, por volta das 17 horas, transmitida a todos os diocesanos em cadeia de rádio e redes sociais.

Em sua homilia, em tom profético, o bispo lembrou aspectos importantes da realidade que ora vivemos.

“Nesta missa em que convidamos toda a Diocese a ser solidária, talvez a melhor palavra fosse o silêncio para poder escutar a dor do outro, para refletir no coração o que significa perder ou dar a Deus sem poder ao menos se despedir dessa pessoa.”

O bispo fez memória às mais de cem mil vidas ceifadas pela Covid-19:

“Rezo e peço que pelos irmãos e irmãs que morreram, que entregaram suas vidas a Deus. Que essas mortes possam gerar mais vida, mais comunhão entre nós, mais  cuidado uns com os outros, mais ética, mais moral, maior compromisso dos nossos políticos e governantes para com o respeito e o cuidado pela vida.”

Analisando a realidade dos números da pandemia, Dom José Luiz fez questão de sair dos meros dados estatísticos e aprofundar com seriedade os reflexos desses números na vida do seu povo:

“Mais de cem mil mortos que não representam apenas uma cifra, mas nomes, rostos, vidas, lutas e sonhos interrompidas, famílias enlutadas, olhares e sorrisos que se apagaram. Mas a separação é sempre dolorida, clama ao céu e grita sobretudo quando tem consciência que milhares dessas mortes poderiam ser evitadas.”

A realidade da pandemia encontrou na fala do bispo suas raízes e responsáveis quando, ao falar sobre os motivos que levaram ao crescimento de tantos casos em nosso país, causando uma verdadeira tragédia no meio do povo brasileiro:

“Como explicar tamanha tragédia? Por que a pandemia encontrou solo fértil no Brasil? Por que a sensação de que este flagelo poderia ser menor? Por que tanto sofrimento, tantas lágrimas engolidas e silenciadas, especialmente entre os extratos mais pobres de nossa sociedade? O que faltou, então? O que sobrou? Por que o Governo deixou acontecer isso?  Sobrou negligência, sobrou indiferença, sobrou deboche e escárnio, uma gesto, uma palavra, um plano nacional de combate a esse inimigo invisível.”

E o bispo concluiu com uma súplica e uma palavra solidária:

“Ó Deus da Vida, por força do teu Espírito, alivia a nossa dor e tem pena do teu povo abandonado e explorado. Unimo-nos às famílias enlutadas pela Covid-19, expressando a elas o choro que trazemos em nosso coração e dizendo que as companhamos com o nosso coração e a nossa solidariedade. Como Igreja Diocesana de Pesqueira, peçamos uma graça ao Senhor neste dia: chorar com ele e com o seu povo que chora neste momento.”

VOCÊ TAMBÉM PODE GOSTAR​