/
/
“Missa dos Santos Óleos” é transferida na Diocese de Pesqueira

“Missa dos Santos Óleos” é transferida na Diocese de Pesqueira

Todos os anos, na Quinta-feira Santa, os bispos reúnem seus presbitérios, geralmente na parte da manhã nas suas catedrais, para uma celebração muito especial: a “Missa do Crisma”, também conhecida como “Missa dos Santos Óleos”.

Durante esta celebração, são abençoados o Óleo dos Catecúmenos e o Óleo dos Enfermos e é consagrado o Óleo do Santo Crisma. Na mesma missa também são renovadas as Promessas Sacerdotais pronunciadas no dia da ordenação.

Esta celebração também tem o nome de “Missa da Unidade”, porque expressa a comunhão diocesana em torno do Mistério Pascal de Cristo, constituindo um momento forte de comunhão eclesial, de participação intensa das comunidades e de valorização dos Sacramentos da vida da Igreja.

Este ano, por conta da pandemia Corona Vírus que se abate sobre todo o mundo, Dom José Luiz Ferreira Salles, CSsR, bispo diocesano, em comunicado oficial a toda a Diocese, tomando como ponto referencial o Decreto 153/20 da Congregação para o Culto Divino e a Disciplina dos Sacramentos, adiou esta celebração, deixando-a para uma data onde todo o clero possa estar reunido, numa grande ação de graças. A data ainda será anunciada em tempo oportuno.

Entenda o significado dos óleos

– Óleo dos Catecúmenos: Concede a força do Espírito Santo aqueles que serão batizados para que possam ser lutadores de Deus, ao lado de Cristo, contra o Espírito do mal. Usado sempre nas celebrações do Batismo.

– Óleo dos Enfermos: É um sinal utilizado pelo sacramento da Unção dos Enfermos, que traz o conforto e a força do Espírito Santo para o doente no momento de seu sofrimento. O doente é ungido na fronte e na palma das mãos.

– Óleo do Crisma: É um óleo utilizado nas unções consecratórias dos seguintes sacramentos: depois da imersão nas águas do batismo, o batizado é ungido na fronte; na Confirmação é o símbolo principal da consagração, também na fronte; depois da Ordenação Episcopal, sobre a cabeça do novo bispo; depois da ordenação sacerdotal, na palma das mãos do neo-sacerdote.

Compartilhar: