Diocese acolhe nova congregação religiosa

Compartilhe:

Dois padres da Congregação Paixão de Jesus Cristo (Passionistas) foram acolhidos no último domingo, 29, na diocese de Pesqueira. Os religiosos Pe. Leonildo Pedro dos Santos, CP (Pároco) e o Pe. Alan Hildeu Felício, CP (Vigário Paroquial) foram recebidas pelo bispo diocesano, dom José Luiz Ferreira Salles, CSsR, e pelos fieis da cidade de Arcoverde, a santa missa de posse dos novos padres aconteceu às 08h na paróquia, São Geraldo Majella, com a numerosa presença de fiéis e padres diocesanos e da congregação passionistas.

Congregação Paixão de Jesus Cristo

A conhecida Congregação dos Passionistas, oficialmente se chama Congregação da Paixão de Jesus Cristo. Seu fundador é São Paulo da Cruz (1694-1775). Ela é originária da Itália. Seus religiosos são conhecidos como “passionistas”. O nome procede da palavra latina “passio”, cuja tradução em português é “paixão”.

O centro agregador, vitalizador e irradiador da Congregação Passionista, é a Paixão de Jesus. Para o Santo Fundador, a Paixão de Jesus é a maior manifestação do amor divino em prol da humanidade. E a humanidade continua carente de amor, do verdadeiro amor, o que leva dar a vida para o próximo (Jo 15,12-13).

Paulo da Cruz que entre os anos 1720-1724 pensou e deu os passos necessários para fundar a Congregação dos Pobres de Jesus, cuja finalidade era irradiar o Temor de Deus. A partir dos meados de 1724 deu o verdadeiro salto qualitativo e assim começou a surgir a Congregação da Paixão de Jesus que hoje se faz presente nos cinco Continentes (em torno de 60 países).

No Brasil, os Religiosos Passionistas se congregam em dois grandes grupos constituindo a Província Getsêmani (da qual fazem parte dos padres Leonildo e Alan).

Parte da Família Passionista já está na comunhão definitiva (1Cor 15,28), como o Santo Fundador São Paulo da Cruz, São Vicente Maria Strambi, São Gabriel de Nossa Senhora das Dores, Santa Gema Galgani, Santo Inácio Canoura, São Carlos Houben, Santa Maria Goretti. Conhecidos como os Santos Passionistas.

Padre Diocesano e Padre Religioso, você sabe qual a diferença?

padre diocesano está incardinado numa Igreja particular (Diocese) que, por sua vez, tem uma área territorial bem específica e definida. Ele está sob os cuidados e orientação direta do Bispo diocesano. Tem como missão primordial o trabalho paroquial e a comunhão com o clero local. Podem ter propriedade, salário, não vivem em comunidade e dependem apenas de seu Bispo.

Por outro lado, existem os religiosos (frei, dom, monge) padres. Esses, antes do sacerdócio, assumem a vocação à vida religiosa consagrada e fazem os votos evangélicos de pobreza, obediência e castidade. Sua obediência está diretamente ligada ao superior da Ordem religiosa a que pertence ou da comunidade onde vive, seja ela redentorista, franciscana, agostiniana, etc.

O território da missão do religioso consagrado padre é mais amplo que uma diocese, visto estar a serviço da sua Ordem ou Congregação. Porém, quando estiver exercendo seu sacerdócio dentro de uma determinada diocese, deve seguir as orientações do bispo local. Os religiosos assumem os trabalhos em fraternidade.

VOCÊ TAMBÉM PODE GOSTAR​