/
/
Alto-falantes tornam possível evangelização a quem não tem acesso a recursos digitais

Alto-falantes tornam possível evangelização a quem não tem acesso a recursos digitais

No sertão potiguar, onde os recursos tecnológicos são escassos, os alto-falantes se tornaram um grande aliado da evangelização, sobretudo, para os fiéis de mais idade. É assim na cidade Agreste de Cima, distante 7 quilômetros da sede da Diocese de Mossoró (RN), mas exatamente na Paróquia São Miguel.

Minutos antes da missa começar na igreja matriz, o sino avisa que a celebração já vai começar. Prontamente, convidados pelos badalos, o casal Francisco Chaves, 73 anos, mais conhecido como seu Chiquinho, e Francisca Maria, 84 anos, a dona Francisquinha, colocam o tamborete na calçada em frente à casa onde moram e ficam atentos à liturgia.

Confira o relato sobre o uso dos alto falantes das igrejas do interior, também chamados de “bocas de difusoras” ou apenas “difusoras”, exemplos da comunicação eficiente onde internet e sinais de TV e rádio ainda são precários:

Leia o texto na íntegra.

Compartilhar: