Neste domingo, 22 de outubro, será celebrado em todo o mundo do Dia Mundial das Missões e, por isso, o Vaticano organizou uma coletiva de imprensa com o Prefeito da Congregação para a Evangelização dos Povos, Cardeal Fernando Filoni.

O Purpurado recordou que “na fé cristã há um impulso e dele vive todo o corpo”. “Se o pulso é detido, entramos em crise, é choque”. E este impulso “é a missão”, a “missionariedade que Jesus entrega aos apóstolos, à Igreja, e Ele segue estando presente nesta obra missionária”.

Além disso, Filoni sublinhou que “o missionário nunca está sozinho, seja leigo, sacerdote, religiosa… porque por trás está Cristo, que age”.

“A fé se manifesta e se dá por este impulso. O missionário é o instrumento privilegiado através do qual a Palavra do Senhor chega” e pode-se dizer que “o fundamento da missão é levar Jesus como caminho, verdade e vida”.

O Prefeito recordou que na mensagem pelo Dia Mundial das Missões, o Papa Francisco fala também “do coração da missão”, que é “o encontro de Jesus com o homem, ao qual todo mundo tem direito”.

Além disso, sublinhou a importância da educação das crianças para que valorizem o que significa a missão. “Educar à missionariedade é educar para que o mundo seja melhor, porque se não se começa desde pequenos, depois será mais complicado”.

Sobre os problemas que os missionários encontram em alguns países para exercer este trabalho, o Cardeal reconheceu que, “às vezes, veem o cristianismo como algo que vem de fora”. Mas, por exemplo, no Japão, “também foi o povo que levou muitas vezes o Evangelho”.

“Se alguém leva uma mensagem mas depois não é aceito, tudo termina ai. Por isso que são fundamentais as possas, o povo”, disse.

A Mensagem para o Dia Mundial das Missões foi divulgada em junho e tem como tema “A missão no coração da fé cristã”. Nela, o Papa Francisco afirma que “a Igreja é, por sua natureza, missionária; se assim não for, deixa de ser a Igreja de Cristo, não passando de uma associação entre muitas outras, que rapidamente veria exaurir-se a sua finalidade e desapareceria”.

ACI DIGITAL

Compartilhe nas redes sociais