Cidade do Vaticano (RV) – Não basta se declarar cristão, é preciso agir : comentando o Evangelho da casa construída sobre a rocha ou sobre a areia, na missa desta manhã o Papa Francisco convidou a não ser cristãos de aparência, mas a colocar em prática o amor de Jesus.

Para o Pontífice, não basta pertencer a uma família muito católica, a uma associação ou ser um benfeitor se, depois, não se segue a vontade de Deus. “Muitos cristãos de aparência caem nas primeiras tentações”, afirmou, porque não têm “substância”, construíram sua casa sobre a areia. Ao invés, há muitos santos no povo de Deus – não necessariamente canonizados – que colocam em prática a Palavra de Deus. Construíram a casa sobre a rocha, que é Cristo:

“Pensemos nos pequeninos, eh? Nos doentes que oferecem seus sofrimentos pela Igreja, pelos outros. Pensamos nos muitos idosos sozinhos, que rezam e oferecem. Pensemos em tantas mães e pais de família que levam avante com muita dificuldade a sua família, a educação dos filhos, o trabalho cotidiano, os problemas, mas sempre com a esperança em Jesus, sem aparecer, mas fazendo o que podem.”

São os “santos da vida cotidiana!”, exclamou o Papa:

“Pensemos nos muitos padres que não mostram, mas que trabalham em suas paróquias com tanto amor: a catequese às crianças, o cuidado dos idosos, dos doentes, a preparação aos recém-casados… E todos os dias a mesma coisa, todos os dias. Não se entediam, porque em seu fundamento está a rocha. É Jesus, é Ele quem dá a santidade à Igreja, é isso que dá esperança!”

“Devemos pensar muito na santidade escondida que há na Igreja – prosseguiu Francisco –, cristãos que permanecem em Jesus.” “Pecadores? Todos somos. E às vezes alguns desses cristãos cometem um pecado grave, mas se arrependem, pedem perdão, e isso é grande: a capacidade de pedir perdão, de não confundir pecado com virtude, de saber bem onde está virtude e onde está o pecado. Estas pessoas estão fundadas sobre a rocha e a rocha é Cristo. Seguem o caminho de Jesus, seguem-No.”

“Os orgulhosos, os vaidosos, os cristãos de aparência” – sublinhou o Papa Francisco – “serão derrubados, humilhados”, enquanto “os pobres serão os que vão triunfar, os pobres em espírito, aqueles que diante de Deus não se sentem importantes, os humildes, e realizam a salvação, colocando em prática a Palavra do Senhor”. “Hoje, estamos aqui, amanhã não estaremos mais” – disse o Papa citando São Bernardo: “Pense, homem, o que será de você: alimento para os vermes”. “Os vermes irão nos comer, a todos” – recordou o Papa – “Se não temos esta rocha, vamos acabar pisoteados”:

“Neste tempo de preparação para o Natal pedimos ao Senhor para sermos firmes na rocha que é Ele, a nossa esperança é Ele. Todos nós somos pecadores, somos fracos, mas se colocarmos a esperança N’Ele podemos avançar. E esta é a alegria de um cristão: saber que n’Ele há esperança, há perdão, há paz, há alegria. E não colocar a nossa esperança em coisas que são hoje existem e amanhã não existem mais”.

(BF/SP)

Fonte: http://www.news.va

Compartilhe nas redes sociais