O Papa Francisco enviou uma mensagem aos brasileiros por ocasião da Campanha da Fraternidade, que foi lançada nesta quarta-feira pela Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) e pelo Conselho Nacional de Igrejas Cristãs (Conic), em Brasília.

Neste ano, a Campanha tem por tema “Casa comum, nossa responsabilidade” e lema “Quero ver o direito brotar como fonte e a justiça qual riacho que não seca” (Am 5,24). É uma campanha ecumênica, sendo realizada juntamente com o Conic, e conta ainda com apoio da Misereor, iniciativa de católicos alemães que realiza a Campanha da Quaresma.

Em sua mensagem, o Santo Padre sublinha que o objetivo principal da Campanha da Fraternidade é “contribuir para que seja assegurado o direito essencial de todos ao saneamento básico”, apelando para o engajamento de todas as pessoas.

“Todos nós temos responsabilidade por nossa Casa Comum, ela envolve os governantes e toda a sociedade”, afirma o Santo Padre, ressaltando que, “por meio desta Campanha da Fraternidade, as pessoas e comunidades são convidadas a se mobilizar, a partir dos locais em que vivem” e tomar iniciativas pela “promoção da justiça e do direito ao saneamento básico”.

Citando sua encíclica Laudato Si, Francisco afirma que “o acesso à água potável e segura é um direito humano essencial, fundamental e universal, porque determina a sobrevivência das pessoas e, portanto, é condição para o exercício dos outros direitos humanos”.

O Santo Padre fala de uma ecologia integral e de uma cultura ecológica, que “não pode se limitar a respostas parciais, como se os problemas estivessem isolados”.

“Queridos irmãos e irmãs, insisto que o rico patrimônio da espiritualidade cristã pode dar uma magnífica contribuição para o esforço de renovar a humanidade”, expressa o Pontífice.

Ele ainda convida a, durante a Quaresma, “redescobrir como nossa espiritualidade se aprofunda quando superamos ‘a tentação de ser cristãos, mantendo uma prudente distância das chagas do Senhor’ e descobrimos que Jesus quer ‘que toquemos a carne sofredora dos outros’, dedicando-nos ao ‘cuidado generoso e cheio de ternura’ de nossos irmãos e irmãs e de toda a criação”.

Ao concluir, o Papa Francisco expressa sua proximidade a todos os cristãos do Brasil, enviando sua saudação, e pede que não deixem de rezar por ele.

ACI DIGITAL

Compartilhe nas redes sociais