“O Papa Francisco não quer agradar os jovens e não usa atalhos. Ele propõe a eles desafios, quer que vivam em conformidade com o Decálogo, porque somente isto os tornará felizes”. Foi o que afirmou o Cardeal Kazimierz Nycz, atual Arcebispo de Varsóvia, ao falar à imprensa polonesa sobre a iminente visita do Pontífice à Polônia para a Jornada Mundial da Juventude (de 26 a 31 de julho).

“O Papa Francisco continua a obra de São João Paulo II, observou o Cardeal. Apresenta exigências aos jovens, mas o faz com amor, porque é a felicidade deles que está em jogo”.

Frutos concretos
E os jovens agradecem o Papa com “uma atitude muito positiva, como testemunha a grande presença deles na Praça São Pedro, em Roma, nas Audiências Gerais das quartas-feiras e no Angelus”, diz o purpurado.

“Não é verdade que os jovens são insensíveis”, acrescenou. “Eles querem oferecer ajuda desinteressada e são felizes em fazê-lo. Estou certo de que a JMJ produzirá frutos concretos”.

“Cada ser humano – completou o purpurado polonês – quer fazer algo de bom sem esperar recompensa. Basta olhar ao número crescente de voluntários, também na Polônia. Esta é a prova de tal comportamento”. (JE/Sir)

Rádio Vaticano

Compartilhe nas redes sociais