Foi realizado entre os dias 09 e 10 de junho, no Seminário São José em Pesqueira um Encontro da Pastoral do Migrante da região nordeste. O objetivo do encontro foi analisar as ações realizadas nas Pastorais dos estados do nordeste, trocar ideias , informações e planejar as atividades para o próximo semestre. O migrante é aquela pessoa que deixa o lugar onde vive e segue em busca de trabalho, passeio, refúgio ou melhor qualidade de vida . Dom José , bispo da Diocese de Pesqueira e também Presidente do Serviço Pastoral do Migrante, fala acolhida da pastoral aos migrantes . “A Pastoral é a pastoral que primeiro dá acolhida, de ir ao encontro dessas pessoas na busca de seus direitos , permitindo mostrar um pouco o rosto do Jesus Peregrino, do Jesus que caminha, mas o Jesus que também acolhe os nossos irmãos e irmãs”, declarou o bispo. O objetivo central da pastoral é articular e organizar os migrantes e imigrantes seja no âmbito nacional ou local, além de promover a defesa e a organização desses grupos. Lutando por exemplo, por melhores condições de trabalho e moradia, lutando contra o tráfico humano e de trabalho escravo. “A Igreja tem que ter esse espaço de olhar pelos que estão sofrendo, justamente porque fizeram muitas vezes uma migração forçada ou porque na sua região passa fome, tá seco, ou são vítimas de catástrofes naturais. Hoje, nós temos dentro da migração muitos refugiados no Brasil, gente que chega de todos os recantos do mundo”, finalizou o Bispo. Atualmente, o Brasil está recebendo um grupo muito grande de pessoas d vindas do Haiti, Cabo Verde e Guiné-Bissau. Além dos migrantes interestaduais, como é exemplo de pessoas que saem da região norte/nordeste e migram para o sudeste/sul. O evento também planejou na organização da Pastoral do Migrante aqui no Estado e a celebração da Semana do Migrante, que ocorre de 15 a 22 de junho e traz o tema “Migração e Liberdade” e lema “Migrar é direito, tráfico humano é crime”! Participaram do encontro, o Bispo Dom José e os coordenadores das pastorais de Fortaleza, Piauí e da Paraíba. Um segundo encontro está previsto para o mês de julho.

Por: Larissa Tavares – Núcleo de Comunicação da Cáritas Diocesana
Compartilhe nas redes sociais