Este ano, no dia 7/09, o 22º Grito dos Excluídos seguiu denunciando as várias formas de desigualdades do país e apontando qual o real papel do Estado diante de tanta exclusão. Com o tema “Vida em primeiro lugar”, e o lema “Este sistema é insuportável: Exclui, degrada, mata!” que teve como inspiração as várias referências do Papa Francisco, durante o Encontro Mundial com os Movimentos Populares, que ocorreu na Bolívia.

IMG_20160907_155610546A Diocese de Pesqueira, através da Cáritas Diocesana, ontem (07), no Dia da Independência da República, realizou uma panfletagem sobre o Grito dos Excluídos durante o desfile cívico da cidade de Pesqueira. Na ocasião, também foram distribuídas cópias da carta escrita pelo Bispo Diocesano, Dom José Luiz, em prol às eleições 2016.

“Julgo ser oportuno lembrar que, ao votar em uma pessoa, transferimos para ela um poder que pertence a cada cidadão e cidadã. É como se passássemos uma procuração para que esta pessoa decida em nosso nome, por um período de quatro anos. Por isso, não basta reconhecer os candidatos pelas fotografias. Precisamos saber a quais grupos estão ligados, quais interesses representam ou quais tem sido as suas lutas políticas. Este momento das eleições municipais é uma excelente oportunidade para aprofundar e melhorar a participação responsável de todos os cidadãos nos destinos de nossas cidades. Portanto, seja responsável! Pense muito bem antes do seu voto! Leia, observe, analise e participe!”, trecho da carta Em Vista das Eleições 2016.

IMG_20160907_154724546_HDR

O momento foi propício e teve como objetivo mostrar à população o que é o ato popular “Grito dos Excluídos” e a sua importância. Fora isto, ao mesmo tempo, as pessoas tiveram a oportunidade de receber a carta do Bispo que provoca os cidadãos e cidadãs a repensar sobre a sua autonomia e direito ao voto.

Já no próximo sábado, 10, na Praça da Conceição, a partir das 9h, na cidade de Belo Jardim (PE), haverá um momento realizado pelo Conselho Municipal em parceria com algumas lideranças comunitárias, paróquias, movimentos e o Sindicato dos Trabalhadores Rurais (STR). O encontro tem como objetivo realizar denúncias políticas e momentos de debate com diversos assuntos e também algumas apresentações culturais. A pretensão de reunir cerca de 500 pessoas.

Sobre o Grito dos Excluídos

A proposta do Grito surgiu no Brasil no ano de 1994 e o 1º Grito dos Excluídos foi realizado em setembro de 1995. O Grito dos Excluídos é uma manifestação popular carregada de simbolismo, é um espaço de animação e profecia, sempre aberto e plural de pessoas, grupos, entidades, igrejas e movimentos sociais comprometidos com as causas dos excluídos. O Grito brota do chão e encontra em seus organizadores suficiente sensibilidade para dar-lhe forma e visibilidade. O Grito não tem um “dono”, não é da Igreja, do Sindicato, da Pastoral; não se caracteriza por discursos de lideranças, nem pela centralização dos seus atos; o ecumenismo é vivido na prática das lutas, pois entendemos que os momentos e celebrações ecumênicas são importantes para fortalecer o compromisso.

Rosanny Barreto, Núcleo de Comunicação da Cáritas Diocesana de Pesqueira

Compartilhe nas redes sociais